Obesidade: causas e consequências

obesidade

De acordo com a OMS, a obesidade é uma doença em que o excesso de gordura corporal acumulada pode atingir graus capazes de afectar a saúde.

As causas da obesidade não são claras, e comer demais nem sempre é a causa. A quantidade de energia (calorias) que o organismo necessita quando está em repouso pode ser importante. Obtém-se energia através dos alimentos ingeridos e a energia não utilizada é armazenada na forma de gordura. Pessoas obesas podem despender menos energia quando em repouso do que as não obesas e também queimam menos calorias porque é mais difícil serem fisicamente ativas.

Os genes herdados dos pais podem afetar o peso. Crianças com pais obesos têm dez vezes mais chances de se tornarem obesas do que aquelas cujos pais não o são. Hábitos alimentares não-saudáveis também podem ser outra causa de obesidade. Raramente desequilíbrio hormonal causa obesidade.

Quais são os tipos de obesidade?

  • Obesidade andróide, abdominal ou visceral – quando o tecido adiposo se acumula na metade superior do corpo, sobretudo no abdómen. É típica do homem obeso. A obesidade visceral está associada a complicações metabólicas, como a diabetes tipo 2 e a dislipidémia e, a doenças cardiovasculares, como a hipertensão arterial, a doença coronária e a doença vascular cerebral, bem como à síndroma do ovário poliquístico e à disfunção endotelial (ou seja deterioração do revestimento interior dos vasos sanguíneos). A associação da obesidade a estas doenças está dependente da gordura intra-abdominal e não da gordura total do corpo.
  • Obesidade do tipo ginóide – quando a gordura se distribui, principalmente, na metade inferior do corpo, particularmente na região glútea e coxas. É típica da mulher obesa.

Quais são os factores de risco?

  • Vida sedentária – quanto mais horas de televisão, jogos electrónicos ou jogos de computador, maior a prevalência de obesidade;
  • Zona de residência urbana – quanto mais urbanizada é a zona de residência maior é a prevalência de obesidade;
  • Grau de informação dos pais – quanto menor o grau de informação dos pais, maior a prevalência de obesidade;
  • Factores genéticos – a presença de genes envolvidos no aumento do peso aumentam a susceptibilidade ao risco para desenvolver obesidade, quando o indivíduo é exposto a condições ambientais favorecedoras, o que significa que a obesidade tem tendência familiar;
  • Gravidez e menopausa podem contribuir para o aumento do armazenamento da gordura na mulher com excesso de peso.

Quais são as consequências da obesidade?

  • Cálculo biliar e doença na vesícula biliar.
  • Doença do fígado gorduroso.
  • Refluxo gastroesofágico.
  • Osteoartrite.
  • Gota.
  • Problemas pulmonares como apnéia do sono.
  • Problemas reprodutivos em mulheres, incluindo irregularidades menstruais e infertilidade.
  • Publicidade
  • Publicidade
comentarios(0)
Nota: Os comentários deste site são publicados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Bulhufas.com reserva-se ao direito de apagar os comentários abusivos e com linguagem inadequada. Aparecer como anónimo - Ao escolher opção os seus dados (nome e e-mail) serão ocultados.