mundo Publicado em 28/05/2012

Idosa dá à luz a um bebê fóssil de 56 anos

Bebe fosil

Uma mulher de Marrocos que ficou grávida em 1955 deu luz a seu bebê, literalmente petrificado, meio século após ficar grávida. Durante todo este tempo manteve o feto calcificado dentro de seu corpo.

A origem desta história incrível remonta a 1955, quando Zahra Aboitalib sentiu as dores do parto. Foi transladada a um hospital, mas ao ver a uma mulher morrer na mesa de operações durante uma cesárea, fugiu aterrorizada e regressou a sua pequena cidade, relata o diário “Crônica”.

Após que as dores desaparecessem e o bebê deixasse de mexer, Zahra começou a considerar um “bebê dormido”. Segundo a crença popular marroquina, há bebês que podem viver dentro do ventre da mulher para proteger sua honra.

Com 75 anos, as dores regressaram, pelo que decidiu voltar ao hospital. Os médicos realizaram-lhe uma prova de ultra-som e descobriram que seu “bebê dormido” foi em realidade uma gravidez ectópica, isto é, fora do útero.

Depois de meio século de espera, uma operação de quase cinco horas conseguiu extrair com sucesso o feto calcificado de Zahra. O mais surpreendente é como Zahra conseguiu sobreviver levando dentro de seu corpo um feto morto e como este não foi recusado pelo organismo.

Segundo a revista da Sociedade Real de Medicina, não se trata do primeiro caso deste tipo. Até o momento foram consignados 209 casos de bebês de “pedra”, assim chamados “lithopedions”.

Jessica — Redatora e revisora
comentários 24
  1. fonte?

    Luiz 8 novembro, 2013 às 14:18
  2. ATENÇÃO: o termo em português é “LITOPÉDIO”.

    Daniel Zandonadi 8 novembro, 2013 às 22:10
  3. Ela deveria ser presa. Ela tirou o direito do bebê viver.

    BRuna 8 novembro, 2013 às 23:06
  4. Ela nao deu a luz. Ela teve uma cesariana programada depois que começou com dor abdominal.

    Raquel 9 novembro, 2013 às 0:07
  5. Bizarro mesmo, mas é real.
    Documentário em inglês.
    http://www.youtube.com/watch?v=MNiN_XfOjNw

    Gustavo 9 novembro, 2013 às 1:12
  6. Somente a título de curiosidade. Algo só pode ser chamado de fóssil se ele tiver mais de 1 milhão de anos, ou seja, o título da matéria está totalmente errado.

    Alexandra 9 novembro, 2013 às 1:58
  7. Para Bruna: Idiota! LEia a história novamente e tente entender que nem tudo se encaixa na forma quadrada da sua mente.

    Joao 9 novembro, 2013 às 6:40
  8. Meus senhores está noticia é mentira. a foto do lado direito, se repararem, a parte de fundo corresponde a uma mão (com luva de latex) e o esqueleto que aparece é de uma ave. Mesmo que nao fosse, nenhum feto em fase de parto tem aquela dimensão…
    P.S.: Bruna, cala-te!

    Verdade 9 novembro, 2013 às 7:16
  9. Bruna, presa pelas leis de qual país? Vc leu a matéria direito? Leu a parte ” Segundo a crença popular marroquina, há bebês que podem viver dentro do ventre da mulher para proteger sua honra.”? Já ouviu falar em CULTURA? Cultura não é só o que vc vê no cinema, não. Cultura é o conjunto de valores adquiridos por uma sociedade. Na terra dela, um bebê no ventre protegendo a honra da mãe é um valor adquirido.

    Renata 9 novembro, 2013 às 12:16
  10. http://www.youtube.com/watch?v=MNiN_XfOjNw

    kings 9 novembro, 2013 às 12:58
  11. O.o
    Nojo puro, credo.

    Joao 9 novembro, 2013 às 13:55
  12. Qta. burrice, meu Deus…….. mostra-nos qto é precária a educação (leia-se instrução), nessa republiqueta, que chamam de Brasil. Todos vcs resolveram consertar os ‘fatos’ descritos, o que é mais do que louvável, mas não repararam em um dos mais grosseiros erros dessa língua que, ainda, falamos, por aqui. Pelo amor de Deus, desde quando ‘após que’ existe ??? Analfabetos, mesmo que se trate de uma tradução. E se dizem jornalistas, ou o raio que os parta. Qto à pobre da Bruna, como foi massacrada….. quem sabe, ela não tem cultura, nem sabe, ou leu e não entendeu, do que se trata, justamente por não ter tido acesso à educação/ instrução da qual eu falo ? Vamos dar um voto de piedade a ela. Outra coisa, gente… qual, de nós, é passível de erros ? ‘Não julgueis, para não serdes julgados !’ Bem, continuo afirmando, que até na ‘nota’, do artigo, há erros e não são de digitação, coisa nenhuma…

    Ni Muylaert 9 novembro, 2013 às 15:26
  13. Humm…qndo vi…só pelo nome do site…já fiquei de olhão aberto!!(ou seja…esperto)!!..e ta na categoria de “entretenimento”!!….a VERDADE….só vai saber quem se debateu em dúvidas em indecisões pra ir procura-la…. qnto português…meu amigo João…vc entendeu o q esta escrito…NUM foi…!!então fii…no trabalho ou algo mais formal até entendo…falar correto pra yo.. é transmitir informação de uma forma q o outro entenda…então pra mim já vleu!! se verdade foi ou não…se tão falando certo ou não…conserteza atraiu sua atenção!!

    TAPANACARA 9 novembro, 2013 às 16:54
  14. A noticia e Real, porem as fotos postada aqui não são reais,
    em jonas europeu você vê a noticias com as fotos reais, até tem documentário sobre o caso no discovery.

    Ricardo Andrade 9 novembro, 2013 às 18:09
  15. Jesus, Maria e José…

    Aura 9 novembro, 2013 às 21:42
  16. empregastes o termo fóssil de forma errônea tbm!

    Anônimo 9 novembro, 2013 às 23:46
  17. O termo médico correto que se encaixaria nesta “reportagem” é MUMIFICADO. O termo fóssil é para vestígios de seres vivos impressos em rochas, com ou sem a presença da matéria orgânica.
    Agora, quanto às críticas sobre os comentários da Bruna, ela apenas expressou a sua opinião como qualquer um de nós tem direito. Se ela acha que a mulher deveria ser presa é porque ela sente que essa seria a melhor resolução para esta história, mas isso não significa que seja ou não seja, significa apenas que ela expressou sua opinião sobre o assunto e eu a parabenizo pela coragem. Liberdade de imprensa e de opinião!
    E quanto ao ser verídico ou não este fato, não quero nem saber dessa babaquice. O próprio nome do site já classifica esta notícia: bulhufas, ou seja, nada. Nada disso me interessa! Até porque não acredito em notícias sensacionalistas que não venham de fontes confiáveis. Algumas vezes eu não confio nem nas tais “confiáveis”, quanto mais nessas coluninhas passatempo.

    Anônimo 10 novembro, 2013 às 4:59
  18. Ah, só mais uma coisa: quem não escreve a linguagem correta não pode corrigir os erros de redação dos outros. “Vc” e “qtos” não são palavras, são a materialização escrita da preguiça!!!

    Anônimo 10 novembro, 2013 às 5:05
  19. Ni Muylaert, vai escrever errado assim na puta que pariu! Não sabe usar vírgula não? E critica que escreveu “após que…” kkkkkkkk

    Renata 10 novembro, 2013 às 15:27
  20. *quem

    Renata 10 novembro, 2013 às 15:28
  21. A noticia é insólita mas, é desagradável ler estes comentário de pessoas que ostentam inteligência e cultura a tratarem se tão mal.

    Anônimo 11 novembro, 2013 às 14:47
  22. Bruna…quando não tiver nada de bom pra falar…não fale!!! fique quietinha que é melhor! Poupe as pessoas dos seus comentários ignorantes…

    Raquel 12 novembro, 2013 às 19:10
  23. pode ser cultura, mas deixaram o bebé que queria vir ao mundo morrer. não podemos desvalorizar a morte de crianças por ser cultura, isso é não termos coração perante tal noticia.

    livia 17 novembro, 2013 às 19:42
Nota: Os comentários deste site são publicados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Bulhufas.com reserva-se ao direito de apagar os comentários abusivos e com linguagem inadequada. Aparecer como anónimo - Ao escolher opção os seus dados (nome e e-mail) serão ocultados.
mais titulares ao azar

Publicidade